19 de setembro de 2018

Vanessa da Mata

Foto: Marcos Hermes

Após três anos com as turnês de "Segue o Som" e do projeto intimista "Delicadeza", a cantora Vanessa da Mata apresenta seu novo CD/DVD "Caixinha de Música", gravado ao vivo, em São Paulo. O show acontece no Sesc Belenzinho, nos dias 20, 21 e 22 de setembro, na Comedoria da unidade, às 21h30.

O espetáculo, que tem direção musical do guitarrista Maurício Pacheco, apresenta três novas canções da cantora e compositora mato-grossense: Caixinha de Música, que dá nome ao novo trabalho, Orgulho e Nada Mais e Gente Feliz (esta também registrada em faixa-bônus com grupo BaianaSystem).

Canções do repertório do show Delicadeza, em que Vanessa se apresentava acompanhada de piano, violão e guitarra, foram registradas nesse novo trabalho e também fazem parte da nova turnê. É o caso de Love Will Tear us Apart, clássico do grupo inglês Joy Division, Mágoas de Caboclo e Vá Pro Inferno com Seu Amor; as duas últimas foram gravadas por Orlando Silva e pela dupla Milionário e José Rico, respectivamente.

Os hits da carreira de Vanessa da Mata, que fizeram dela uma das mais expressivas artistas do mercado fonográfico brasileiro, também estão no roteiro de Caixinha de Música. Entre elas, Ai, Ai, Ai, Amado, Boa Sorte/Good Luck, Não Me Deixe Só e Ainda Bem.

O Sesc Belenzinho fica na Rua Padre Adelino, 1000 - Belenzinho – SP.

18 de setembro de 2018

Transversando

Foto: André Diaz

No dia 19 de setembro, o projeto "Transversando" recebe o performer de carreira internacional Ikaro Kadoshi. O encontro, que tem ainda participação da cantora e compositora Karin Martins, acontece na Comedoria da unidade, às 20 horas, com entrada grátis.

O bate-papo musical convida personalidades do mundo LGBTQI que falam sobre suas trajetórias como ícones de resistência, inseridxs na cultura contemporânea, alternando os depoimentos e conversas com músicas de artistas que acompanham estas experiências, tocadas ao vivo.

Ricardo Gamba é responsável pela curadoria e mediação do bate-papo, cuja ficha técnica tem ainda Vinícius Requena na iluminação, Rico Malta produção e Bruno Lemos nos registros de foto e no vídeo. A idealização é da RG Produções Artísticas.

Esta segunda edição do "Transversando" continua nos meses de outubro, com participação de Renata Carvalho e Rodrigo Fernando, e novembro, com Candy Mel e Jéssica Areias.

O Bate-papo acontece no Sesc Belenzinho que fica na Rua Padre Adelino, 1000 - Belenzinho – SP.

17 de setembro de 2018

Teatro Uma Pátria Habitável

Foto: Divulgação

O Projeto "Teatro Uma Pátria Habitável" traz a japonesa mestra da arte Butoh Yumiko Yoshioka e espanhol Miguel Camarero (foto) irão ministrar oficinas, preparar espetáculos e interpretar em eventos que vão de 18 a 29 de setembro, na Refinaria Teatral, que fica na Zona Norte de São Paulo. Ao todo serão duas oficinas e quatro apresentações. O projeto foi contemplado pela 32ª Edição da Lei de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo. A maioria dos eventos são gratuitos exceto os dos dias 28 e 29 de setembro.

Apresentações:

Monólogo Antes do amanhecer com Yumiko Yoshioka
“Before Dawn – Antes do amanhecer”, uma dança/teatro de metamorfose, onde a escuridão se transforma em brilho. Através de sua própria transformação, Yumiko ilumina segredos em nossos corpos. Criaturas escondidas em nossas memórias esquecidas começam alegremente a reviver. Algo grotesco, embora estranhamente belo, atrai nossa atenção. Nós não podemos deixar de ser cativados por esta força estranha, uma fonte de escuridão e luz.
  
Monólogo Con-sequência de Miguel Camarero 
Uma sequência de acontecimentos da vida que acabam gerando consequências. Ações que parecem estar separadas uma das outras, mas são reflexos de acontecimentos que se conectam. Miguel mostra neste monólogo a força de seu dança-teatro, o “BodyKronos”.

Peregrinação - demonstração de trabalho (Work in progress) da Refinaria Teatral 
"Peregrinação" é o nome dado a abertura pública de uma parte do processo da construção da nova obra do grupo Refinaria Teatral, a peça "O Ritual". A exposição e abertura do trabalho em modelo de apresentação, demonstra em ação algumas etapas do processo do grupo de seu “Teatro Marcial”. Passa por exercícios para construção da estética, a criação do personagem com a proposta estética partindo de técnicas especificas, improvisações até chegar na exposição de cenas sequenciais do novo trabalho, a obra “O Ritual”.

Para maiores informações da programação do Projeto Teatro Uma Pátria Habitável, a Sede do Grupo Refinaria Teatral fica na R. João de Laet, 1507 - Vila Aurora – SP e o Tel: (11) 3624-9301.

14 de setembro de 2018

Carmen, a Grande Pequena Notável

Foto: Leekyung Kim

Há exatos 90 anos Carmen Miranda (1909-1955) cantava pela primeira vez na rádio carioca Roquete Pinto. Portuguesa radicada no Brasil, a cantora estava prestes a se tornar um dos maiores símbolos da cultura brasileira para todo o mundo. Em comemoração a essa data, "Carmen, a Grande Pequena Notável", com direção de Kleber Montanheiro, estreia no dia 15 de setembro no Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo (CCBB SP). O espetáculo fica em cartaz até 26 de janeiro de 2019, com apresentações aos sábados, às 11h.
O musical é inspirado no livro homônimo de Heloísa Seixas e Julia Romeu, que venceu o Prêmio FNLIJ de Melhor Livro de Não Ficção em 2015. Quem dá vida à diva é a atriz Amanda Acosta, que divide o palco com Daniela Cury, Luciana Ramanzini, Maria Bia, Samuel de Assis e Fabiano Augusto. Os músicos Maurício Maas, Betinho Sodré, Monique Salustiano e Marco França também estão em cena.
Para contar essa história, o espetáculo adota a estrutura, a estética e as convenções do Teatro de Revista Brasileiro, no qual Carmen Miranda também se destacou. “Utilizamos a divisão em quadros, o reconhecimento imediato de tipos brasileiros e a musicalidade presente, colaborando diretamente com o texto falado, não como um apêndice musical, mas sim como dramaturgia cantada”, explica o diretor Kleber Montanheiro.
O Centro Cultural Banco do Brasil SP fica na Rua Álvares Penteado, 112, Centro - SP.

13 de setembro de 2018

Casa de Bonecas – Parte 2

Foto: Miro

O espetáculo Casa de Bonecas – Parte 2, com dramaturgia do jovem norte-americano Lucas Hnath e direção de Regina Galdino, reestreia no dia 14 de setembro no TUCARENA. A peça fica em cartaz até 2 de dezembro, com sessões às sextas-feiras, às 21h; aos sábados, às 20h; e aos domingos, às 18h. A tradução é de Marcos Daud, e o elenco é formado por Marília Gabriela, Luciano Chirolli, Eliana Guttman e Clarissa Kiste.

Publicado em 1879, o clássico “Casa de Bonecas”, do dramaturgo norueguês Henrik Ibsen (1828-1906) causou polêmica ao questionar as convenções sociais e o casamento como uma instituição. A peça até hoje é considerada feminista.

Na sinopse, Nora, a emblemática personagem criada por Ibsen no século XIX, volta à casa dos Helmer – 15 anos depois de ter abandonado o marido e seus filhos – em busca do divórcio. Em meio ao julgamento da criada, do marido e de sua filha mais nova revela seus ideais revolucionários sobre o amor livre e contra o casamento.

A diretora Regina Galdino diz que o espetáculo chama a atenção pela qualidade dos diálogos. “O jovem autor, Lucas Hnath, desenha os diálogos como se fossem poemas modernos, gráficos, indicando ritmos, sonoridades, pausas, repetições e intenções que dispensam as tradicionais rubricas. O texto ganha uma musicalidade muito particular, e, num misto de comédia e drama, as relações das personagens surgem límpidas e cortantes, sem maniqueísmos. Futuro e passado, utopia e tradição, luminosidade e trevas, opção e necessidade, maturidade e juventude, coragem e medo, casamento e amor livre, são algumas das contradições que o público irá acompanhar nessa trajetória da personagem Nora em busca de sua identidade, negando a sociedade forjada em mentiras”, diz.

TUCARENA fica na Rua Monte Alegre, 1024 - Perdizes - SP.

12 de setembro de 2018

Catharina

Foto: Divulgação

Paraibano, residente em Salvador, Val Macambira lança seu novo álbum autoral "Catharina", no dia 14 de setembro, às 20h, no Itaú Cultural.

Ainda na capital paulista, os shows acontecem também no dia 20/9 (no Brazileria, às 21h) e no dia 21/9 (no Tendal da Lapa, às 19h). Depois, segue para o Mimo Festival, em Paraty/RJ (dia 28/9). A turnê, que teve início em Salvador (BA), deve passar também pelas cidades Belo Horizonte (MG), Recife (PE) e João Pessoa (PA).

Val Macambira revela que foi ‘parto’ dolorido a produção do álbum, gravado em homenagem à sua filha Catharina, que faleceu de dengue hemorrágica, aos 17 anos. “Entre flagelos, sofrimentos e muita saudade renasci das músicas e senti que estava pronto para registrar esse trabalho musical”, confessa.

O show Catharina constrói um curioso contraste ao transpor o sertão e seu universo peculiar, rural, árido e silencioso, para um espaço urbano. São 10 músicas, compostas exclusivamente para o álbum, cujos arranjos trazem traços do lírico e do barroco compondo com as raízes do rock rural, sem perder o foco no sertão. A cultura popular e o erudito se entrelaçam em harmonia nesse trabalho fazendo uma união ímpar do violino e violoncelo com a estética musical de gêneros como maracatu, repente, embolada, xote, xaxado e baião, que resulta em um ritmo cheio de originalidade. As letras e melodias do disco traduzem o cotidiano do povo brasileiro e dos personagens da cultura popular, onde o folclore se torna lúdico e vivo.

Shows / São Paulo: Val Macambira & Banda

14 de setembro. Sexta, às 20h no Itaú Cultural (Sala Itaú Cultural)
Av. Paulista, 149 - Bela Vista. SP/SP 

20 de setembro. Quinta, às 21h no Brazileria
R. Clélia, 285 – Perdizes. SP/SP. 

21 de setembro. Sexta, às 19h no Tendal da Lapa
Rua Guaicurus, 1100 – Lapa. SP/SP. 

11 de setembro de 2018

Blues

Foto: William Mazzar

Dias 15 e 16 de setembro estreia o espetáculo "Blues – Concerto para Piano" no Capital 35 em Perdizes. A criação, coreografia e direção é de Dinah Perry. Os intérpretes são: Átila Freire, Ana Carolina Barreto, Bruno Bossio e Josefina Padilla. O roteiro musical será de Rodolfo Schwenger que estará ao vivo ao piano. 

O "Blues – Concerto para Piano" é espetáculo com conceito em artes cênicas, linguagem corporal e no gênero musical blues. O roteiro é ilustrado por baladas narrativas que complementam a dramaturgia do trabalho.

São personagens vividos por bailarinos-atores que traçam a narrativa do corpo em movimento alinhados ao estilo musical que frequentemente apontam para questões internas do indivíduo como solidão, relacionamentos, caminhos cruzados e histórias de vida.

O Capital 35 fica na Rua Capital Federal 35, Perdizes - São Paulo e o espetáculo acontece sábado às 21h e domingo, às 19h.

10 de setembro de 2018

IRA!

Foto: Iasmin Daher

O projeto Álbum do Sesc Belenzinho apresenta a banda paulistana IRA! em show do disco Psicoacústica (1988), que completou 30 anos em 2018. São duas apresentações, dias 14 e 15 de setembro na Comedoria da unidade, às 21h30.

Com a mesma formação desde a volta do grupo, em 2014, IRA! é Nasi (vocal), Edgard Scandurra (guitarra e vocais), Evaristo Pádua (bateria), Johnny Boy (teclados e violão) e Daniel Rocha (baixo).

Os dois primeiros álbuns da banda, Mudança de Comportamento (1985) e Vivendo e Não Aprendendo (1986), trazem riffs de guitarras e influência de sons da década de 60; estão mais ligados ao universo hard e pop. Psicoacústica apresenta um som mais experimental e lisérgico com músicas sem refrão, solos longos, momentos instrumentais e uma atmosfera meio sombria. Com oito faixas e pouco mais de 30 minutos de duração, o disco entrou para a história do rock brasileiro, reconhecido como um dos mais ousados da época.  Atualmente, figura na lista dos 100 maiores discos da música brasileira pela revista Rolling Stone, em 81º lugar.

As faixas de Psicoacústica são: Rubro Zorro (E. Scandurra, André Jung, R. Gaspa e Nasi), Manhãs de Domingo (E. Scandurra), Poder, Sorriso, Fama (E. Scandurra), Receita Para se Fazer um Herói (E. Scandurra, Nasi, André Jung, R. Gaspa, e Reinaldo E. Ferreira), Pegue Essa Arma (E. Scandurra), Farto do Rock 'n' Roll (E. Scandurra, R. Gaspa), Advogado do Diabo (Nasi e André Jung), Mesmo Distante (Edgard Scandurra) e a faixa-bônus (versão K7) Não Pague Pra Ver (Edgard Scandurra).

Além das músicas do álbum, a banda também toca clássicos como Flores em Você, Dias de Luta, Núcleo Base, Envelheço na Cidade, Eu Quero Sempre Mais, Tarde Vazia e Girassol.

O Sesc Belenzinho fica na Rua Padre Adelino, 1000 - São Paulo.

7 de setembro de 2018

O Canto Preso

Foto: Alex Merino

Entre os dias 13 e 16 de setembro acontece o projeto “Dança como Instrumento Reflexivo e Político”, da Cia. Carne Agonizante, composto por três espetáculos com direção de Sandro Borelli e duas oficinas. A ideia é apresentar ao público parte do repertório do grupo e debater sua concepção sobre a dança contemporânea.
O espetáculo “O Canto Preso” inaugura a programação com uma apresentação única no dia 13, às 19h15. Trata-se de uma adaptação coreográfica para a peça de teatro “Bent”, de Martin Sherman, sobre um homem preso em um campo de concentração na Segunda Guerra Mundial por ser homossexual. Para amenizar seus horrores, ele se fez passar por judeu, pois sabia que os homens que detinham o triângulo rosa em suas vestes estavam sendo massacrados pelos guardas da SS e humilhados pelos próprios companheiros de sela.
Em “Estado Independente”, com sessão no dia 14, às 19h15, a companhia se apoia na poética e na política revolucionária de Ernesto Che Guevara entre os anos de 1950 e 1960, sobretudo na sua figura lendária de guerrilheiro cidadão do mundo, como ele próprio se definia, e na sua permanência no imaginário coletivo como um personagem de espírito incorruptível, indomável e disposto a lutar contra a injustiça social.
“Colônia Penal”, inspirado na obra homônima de Franz Kafka (1883 -1924) e na ditadura militar brasileira (1964-1985), tem duas apresentações nos dias 15 e 16, às 19h15. A dança explora a visão ampla e original do escritor tcheco para o indivíduo e sua relação ao meio em que está inserido e leva à cena temas como opressão, o aprisionamento e a desesperança.
A CAIXA Cultural São Paulo fica na Praça da Sé, 111 - Centro - São Paulo.

6 de setembro de 2018

O Espírito do Tempo

Foto: João Caldas Filho

Com carreira nos musicais e em bandas de rock, o músico e performer Perí Carpigiani estreia o solo "O Espírito do Tempo", seu primeiro espetáculo de teatro tradicional, no Espaço Cia. da Revista, no dia 12 de setembro.
A peça é livremente inspirada na série de documentários “Zeitgeist”, do norte-americano Peter Joseph, que aborda temas como política, ciência e religião. Em cena, Carpigiani interpreta situações que questionam os efeitos do passar do tempo na sociedade atual.
“O tema foi extraído da parte em que o documentário fala sobre separar o que é genético do que é comportamental”, conta o intérprete.
A narrativa é costurada por músicas autorais e clássicos do Teatro Musical, entre cenas trágicas, cômicas e outras que discutem o papel da ciência no mundo. Todos esses elementos dialogam com o desenho de som e  luz, também criado por Perí.
A encenação é pautada por uma mistura entre as linguagens do Teatro Musical e do Teatro Essencial (desenvolvido por Denise Stoklos), duas fortes influências na carreira de Perí.
O Espaço Cia. da Revista - Alameda Nothmann, 1135 - Santa Cecilia. A temporada vai até o dia 24 de outubro. Quartas-feiras, às 21h.

5 de setembro de 2018

Instrumental Sesc Brasil

Foto:Bruno Morgado

O Instrumental Sesc Brasil oferece shows gratuitos em setembro, sempre às segundas-feiras, às 19h, no Teatro Anchieta do Sesc Consolação. Os ingressos são distribuídos uma hora antes de cada apresentação.
Da música inspirada em filmes de bang bang italianos à guitarrada portuguesa, a programação do projeto traz apresentações de Fil and the Guitar Gun, com seu estilo instrumental western; do Duo Finlandia, que mistura ritmos latinos pouco conhecidos e de Luísa Mitre, que toca MPB ao piano.
Confira abaixo a programação:
FIL AND THE GUITAR GUN
10/9. Segunda-feira, às 19h. Grátis (ingressos 1 hora antes). Livre
Fil and the Guitar Gun é o projeto solo autoral do multi-instrumentista Filinto Fil, inspirado nos filmes italianos de bang bang das décadas de 1960 e 1970. As canções instrumentais Western/Faroeste surgem de diferentes elementos desse gênero cinematográfico – a paisagem, os atores, os diretores, os personagens e a trilha sonora.  Com dois discos lançados, “Living in the Old West” (2013) e “Fort Bravo” (2015), a banda é formada por Filinto Fil (guitarra), Caio Siqueira (bateria), Flavio Guarnieri (contrabaixo), Ricardo Brilhante (violão) e Fernando Manin (flauta).
DUO FINLANDIA
17/9. Segunda-feira, às 19h. Grátis (ingressos 1 hora antes). Livre

Formado pelo argentino Mauricio Elias Candussi (acordeão e samples) e pelo brasileiro Raphael Evangelista de Lima e Silva (violoncelo), o Duo Finlandia apresenta uma mistura de ritmos latino-americanos como huayano, saya, baião, candomblé, cumbia, danza de tijeras, tango, milonga e frevo. Criada em 2010, a dupla tem cinco álbuns em sua carreira: “Mundo Rural” (2015), “Dale” (2013), “Carnavales” (2011), “Extensión” (2010) e “Nandhara” (2010).
LUÍSA MITRE
24/9. Segunda-feira, às 19h. Grátis (ingressos 1 hora antes). Livre

A pianista Luísa Mitre, que se dedica ao estudo da linguagem da MPB no piano, apresenta no show as canções do disco “Oferenda” (2018), como as autorais “Chegada”, “Partida”, “Intuitivo”, “Rodeando” e “Valsa da Espera”. O repertório ainda traz “Corrupião”, de Edu Lobo; e “Espirro” e “Forró da Olívia”, do sanfoneiro Marcelo Caldi, que fará uma participação especial na apresentação. Ela será acompanhada por Camila Rocha (baixo), Marcela Nunes (flauta), Natália Mitre (vibrafone) e Paulo Fróis (bateria).
Vencedora do Prêmio BDMG Instrumental, Luísa é graduada em piano e música popular e mestre em performance musical pela UFMG. A mineira também integra o grupo Toca de Tatu, que já fez turnês pela Europa e venceu os concursos Instrumental Estúdio 66 e Festival de Choro Jorge Assad. Ela também foi premiada no 1º concurso da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais e participou do Savassi Festival.
O SESC CONSOLAÇÃO fica na Rua Dr. Vila Nova, 245, Vila Buarque, São Paulo.

4 de setembro de 2018

A[R]MAR

Foto: Vitor Vieira

É possível ter o controle no jogo da vida? Está no outro aquilo que me falta? É possível nascer uma paixão em um minuto? Como armar estratégias para chegar até o outro? Essas e outras questões norteiam A[R]MAR, o novo trabalho da Suacompanhia, livremente inspirado no conto “Manuscrito Achado Num Bolso”, do escritor argentino Julio Cortázar (1914-1984). Com dramaturgia e direção de Paulo Azevedo, a peça estreia no dia 7 de setembro no Teatro Sérgio Cardoso.
O elenco é formado por Rita Pisano e Bruno Perillo. A montagem explora a mesma situação do conto de Cortázar: um homem cria regras para um jogo nas estações de metrô na tentativa de encontrar a mulher de sua vida. Ao encontrá-la e perceber o risco da reciprocidade no afeto, ele expõe sua estratégia de aproximação e recua diante do amor, voltando ao início do jogo.
Os dois protagonistas são colocados em ação em quadros simultâneos, ora em diálogo com o público, ora consigo mesmos, ora em diálogo entre si. O espectador é o único com uma visão geral da narrativa, como se observasse a cena de longe no metrô. É um cúmplice de um jogo com várias peças para montar.
Teatro Sérgio Cardoso fica na Rua Rui Barbosa, 153 - Bela Vista - São Paulo. A temporada segue até o dia 10 de outubro, às sextas, aos sábados e às segundas-feiras, às 19h30; e aos domingos, às 20h.

3 de setembro de 2018

Moda de Rock toca Led Zeppelin

Foto: Rita Perran

Composta pelos violeiros Ricardo Vignini e Zé Helder, a duo Moda de Rock lança no próximo dia 5 de setembro, às 18h e 21h, no Sesc 24 de Maio o novo álbum "Moda de Rock toca Led Zeppelin", com músicas instrumentais da lendária banda de rock dos anos 70 adaptadas à viola caipira, em formatos inovadores e com participações especiais.
       
Depois de produzir dois CDs e um DVD ao vivo e realizar mais de 300 shows no Brasil e no mundo, o projeto Moda de Rock é dedicado ao consagrado quarteto britânico que está completando 50 anos.

O trabalho chega ao mercado em formato físico e digital com 15 faixas, sendo que duas incluem vocais pela primeira vez desde o lançamento do primeiro CD em 2011. Ana Deriggi canta "Thank You" ao lado do flautista Zé da Flauta. Zé Helder canta a faixa “Going to California”. Destacam-se também neste terceiro álbum a viola erudita de Fábio Tagliaferri em “Friends” e “Four Sticks”, e Sergio Duarte, na gaita blues em “Black Dog”. Há ainda a faixa-bônus ”Kashmir”, gravada ao vivo com participação do percussionista Marcos Suzano.

Quase uma dezena de violas foi utilizada em muitas afinações para reproduzir os clássicos de Led Zeppelin. Os recursos foram obtidos por meio de um projeto via crowdfunding (financiamento coletivo). O lançamento tem o selo Folguedo e distribuição da Tratore.

Ricardo Vignini conta que a escolha do repertório de Led Zeppelin se deu não apenas pela importância da banda na história do rock, mas também pela influência e a inovação trazidas a ele em sua adolescência e a toda sua geração. Cada faixa passou por adaptação feita após extensas pesquisas.  

O Sesc 24 de Maio fica na Rua 24 de Maio, 109, Centro, São Paulo.

31 de agosto de 2018

Via Aérea

Foto: Divulgação

O Sesc Belenzinho abre para o público a temporada da exposição coletiva "Via Aérea". Com curadoria de Marcio Harum, a mostra reúne trabalhos de 12 artistas visuais da cena contemporânea nacional e internacional. A temporada de visitação aberta ao público tem início hoje, dia 31 de agosto, com entrada franca.

A exposição traz um conjunto de obras, entre esculturas, instalação, filme, fotografias e vídeos em disposição aérea, que se relacionam com a arquitetura da unidade ao explorar o aspecto de leveza e as transparências. As criações se apresentam suspensas, flutuantes, içadas.

Algumas obras são inéditas, comissionadas especialmente para a exposição. Os artistas participantes são: Adrià Julià (espanhol, radicado na Noruega), Daniel Lie & Centro da Morte para xs VIVXS (São Paulo, SP), Distruktur (duo de brasileiros, radicados na Alemanha), Ernesto Neto (do Rio de Janeiro, RJ), Geraldo Zamproni (de Curitiba, PR), Isabel Caccia (de Córdoba, Argentina), Jarbas Lopes (de Nova Iguaçu, RJ), Letícia Ramos (gaúcha, radicada em São Paulo), Lucía Madriz (da Costa Rica, radicada na Alemanha), Merce Cunningham (EUA), Fancy Violence (personagem/alter ego do paulistano Rodolpho Parigi) e Sérgio Bonilha & Luciana Ohira (São Paulo, SP).

Segundo Marcio Harum, "Via Aérea" propõe uma reflexão sobre temas atuais que estão em pauta na sociedade mundial. “Diversos assuntos prementes da vida contemporânea, e que mais parecem suspensos no ar sem a força de um debate público mais profundo, são abordados em seu espectro temático central. Entre eles, preconceito socioeconômico e racial, conhecimento ancestral na educação, escambos entre civis, esclarecimentos sobre o papel das ciclovias no urbanismo das grandes cidades, ambientalismo, conscientização alimentar e monopólio de sementes transgênicas, histórias de corpos livres e em movimento, memórias coletivas, afinidades afetivas das redes de micropoder e questões de gênero”, explica o curador.

Para a temporada, estão também programadas ações performáticas e atividades para crianças, jovens e adultos. As mesmas são voltadas para inclusão e acessibilidade, baseadas em práticas cidadãs, dialógicas e comunitárias. Estas atividades têm o apoio do programa educativo que foi desenvolvido para a mostra pelo Sesc Belenzinho.

Na foto, o Projeto Can-Can - Intervenção performática + instalação (2002-2018) - Isabel Caccia, artista argentina, propõe o escambo e o reaproveitamento de meias finas femininas (que podem ser desfiadas ou rasgadas) por uma sessão de unhas pintadas. O projeto sinaliza possibilidades para mecanismos poéticos de reciclagem, mas também materializáveis. De sua larga experiência em diversos países com a ação, vem reafirmar aqui o lugar de encontro num espaço tipicamente feminino, sendo aberto a todxs. Os momentos da ação acontecem em áreas de descanso e convivência do Sesc Belezninho, convidando o público interessado a interagir com a obra e a conversar com a artista. A instalação do material em áreas externas da unidade causa uma estranha e bela sensação, uma vez que malhas iluminadas, como se fossem redes de teias de aranha, estão conectadas e esticadas por entre as árvores.

O Sesc Belenzinho fica na Rua Padre Adelino, 1000 - São Paulo. "Via Aérea" fica até o dia 2 de dezembro, de terça a sábado, das 10h às 21h. Domingos e feriados, das 10h às 19h30.

30 de agosto de 2018

Folias Brechtianas – Ocupação Brecht

Foto: Divulgação

O grupo de teatro Folias D´Arte convidou sete diretores para desenvolver, a partir da obra do poeta e dramaturgo alemão Bertolt Brecht, cenas e intervenções de curta duração. Elas ocorrerão dentro, fora ou entre o Galpão do Folias e as ruas da Santa Cecília. Canções e poemas de Bertolt Brecht e seus contos em “Histórias do Sr. Keuner”, serão ensaiadas e abertas ao público dentro, fora e entre o Galpão do Folias e a rua. Diretores convidados: Cida Moreira, Dagoberto Feliz, Eugênio Lima, Georgette Fadel, Humberto Vieira, Marco Antônio Rodrigues e Rogério Tarifa.
A primeira das sete intervenções do "Ocupação Brecht" tem a direção de Humberto Vieira e é dividida em 3 cenas (Ocupação, Opinião e Expulsão). Sete personagens da dramaturgia brechtiana à procura de um palco, de um espaço para apresentar suas potências cênicas e que juntos ocupam o “entre”, a intersecção do Galpão do Folias com a rua, onde transeuntes transmutados em espectadores são chamados a interagir e a jogar com os personagens. 
O Galpão do Folias fica na Rua Ana Cintra, 213 - Santa Cecília - São Paulo. Dias 31/8, 7/9 e 14/9 (sextas-feiras) haverá intervenções às 16h e às 17h. A cada hora uma sequência das 3 cenas. A classificação é livre e as apresentações são gratuitas.

29 de agosto de 2018

Canções para Amores Líquidos

Foto: Divulgação

Unindo o conceito do sociólogo polonês Zygmunt Bauman (1925 – 2017) e músicas compostas por Marcelo Jeneci juntamente a seus parceiros musicais ao longo de sua carreira, "Canções para Amores Líquidos" estreia dia 1 de setembro, às 21h na Cia. da Revista. A temporada vai até 30 de setembro com sessões sábados, às 21h, e domingos, às 20h. O musical traz histórias de amor e uma reflexão sobre a profundidade dos relacionamentos em nossa sociedade líquida.

A direção é de Luiz Rodrigues e o elenco conta com Beatriz Amado, Cadu Witter, Le Allvez, Leticia Chiochetta, Marcela Gibo e Tiago Valente. O texto original é de Alexandre Martins e Sérgio Virgilio, e supervisão de Victor Hugo Valois. Ao lado de Luiz Rodrigues na equipe criativa estão Sandro Sabbas, na direção musical, e Carolina Martins, que assina as coreografias.

No palco, seis personagens vivem relações amorosas típicas da vida contemporânea, ainda imersa entre antigos e novos valores. A histórias traz questionamento como: Todo mundo está atrás de uma relação sólida? Namoros rápidos podem ser verdadeiros? Estamos mais seguros dentro de um casamento? Todas as relações foram feitas para acabar?

“Esse trabalho busca dialogar com a sociedade sobre as formas e caminhos que o amor toma atualmente, nos levando a refletir sobre as maneiras como nós mesmos o vivenciamos”, conta o diretor.

A Cia. da Revista fica na Alameda Nothmann, 1135 - Santa Cecília - São Paulo.

28 de agosto de 2018

Violino Solo

Foto: Marcelo Donatelli

Dia 5 de setembro, ao meio-dia, no Salão Nobre do Theatro Municipal de São Paulo, Fabio Brucoli faz recital de lançamento do CD "Violino Solo" do selo Série Ateneu Paulistano com obras de Bach, Bela Bartók, Eugène Ysaÿe e a estreia da "In Memoriam para aqueles que nos deixaram" de Olivier Toni. 

No repertório do recital as obras do CD. No CD, Francisco Coelho relata: “Os dedos e as cordas alcançam mais. Por eles passam também cerca de 300 anos da História da Música através de obras criteriosamente escolhidas de Bach, Ysaÿe, Bartók e Toni. Fabio Brucoli, após se dedicar a inúmeros trabalhos de gravação da música brasileira para trio, agora aceitou a aventura íntima de violinista talentoso que lhe cobrava o registro do difícil e basilar repertório solo.O resultado desta empreitada foi a bem-aventurança que agora pode ser compartilhada neste CD cuidadosamente trabalhado nos detalhes e no todo, sobretudo pela primazia de inserir, em primeiro registro fonográfico, a obra de um importante compositor brasileiro no elenco de compositores consagrados."

O Salão Nobre do Theatro Municipal de São Paulo fica na Praça Ramos de Azevedo, s/nº - Sé - São Paulo. Grátis!

27 de agosto de 2018

Versão Brasileira

Foto: Paulo Bareta

O Show “Versão Brasileira”, criado pelo cantor, compositor e pianista Claudio Goldman, é um espetáculo que utiliza de maneira criativa o vasto manancial da música erudita, aproximando-a da música popular brasileira. Serão 4 apresentações, de setembro a dezembro, em espaços culturais da Prefeitura de São Paulo. O pianista irá se apresentar com uma banda de 5 músicos com piano, contrabaixo acústico, percussões, clarinete, acordeão e sopros. 

O músico aproveitou toda a sua experiência na música erudita e popular para realizar este trabalho, mostrando que a música não tem mistério e tornando-a acessível ao grande público. A famosa canção "Pour Elise", de Beethoven, transformou-se num irresistível Chorinho brasileiro; A linda "Gymnopedie", de Erik Satie, recebeu letra em português composta pelo cantor/compositor: palavras delicadas para uma melodia tocante; "La Ci Darem La Mano", da ópera "Don Giovanni", de Mozart, renasce vigorosa e engraçada num Xote Nordestino.  

O "Barbeiro de Sevilha" ("Largo al Factotum") de Gioachino Rossini, e "Summertime" (da ópera "Porgy and Bess"), de George Gershwin, também marcam presença em versões inspiradas, além de "Insensatez", de Tom Jobim, baseada no prelúdio nº 4 de Frederic Chopin. O repertório do show foi gravado no CD “Versão Brasileira” que está disponível para venda e em streaming.

O show, que estreou oficialmente como parte da programação do Festival de Campos de Jordão, diverte e emociona a plateia. Cláudio Goldman narra histórias, passeia pelos temas com familiaridade e surpreende com sua voz raríssima: tudo permeado pelo bom gosto extremo dos arranjos também assinados pelo cantor/compositor que executa o piano ao longo do show.

Confira a agenda:
1 de setembro, sábado, às 16h 
Casa de Cultura Santo Amaro - Tel:  (11) 5522-8897

13 de outubro, sábado, às 15h
Casa de Cultura Guaianases - Rua Castelo de Leça, s/nº , Jardim Soares

21 de outubro, domingo, às 19h 
Casa de Cultura São Miguel - Tel:  (11) 2297-9177

1 de dezembro, sábado, às 19h
Casa de Cultura Tremembé - Rua maria Amália Lopes Azevedo, 190 - Tremembé.

Todos os eventos são gratuitos.