18 de setembro de 2018

Transversando

Foto: André Diaz

No dia 19 de setembro, o projeto "Transversando" recebe o performer de carreira internacional Ikaro Kadoshi. O encontro, que tem ainda participação da cantora e compositora Karin Martins, acontece na Comedoria da unidade, às 20 horas, com entrada grátis.

O bate-papo musical convida personalidades do mundo LGBTQI que falam sobre suas trajetórias como ícones de resistência, inseridxs na cultura contemporânea, alternando os depoimentos e conversas com músicas de artistas que acompanham estas experiências, tocadas ao vivo.

Ricardo Gamba é responsável pela curadoria e mediação do bate-papo, cuja ficha técnica tem ainda Vinícius Requena na iluminação, Rico Malta produção e Bruno Lemos nos registros de foto e no vídeo. A idealização é da RG Produções Artísticas.

Esta segunda edição do "Transversando" continua nos meses de outubro, com participação de Renata Carvalho e Rodrigo Fernando, e novembro, com Candy Mel e Jéssica Areias.

O Bate-papo acontece no Sesc Belenzinho que fica na Rua Padre Adelino, 1000 - Belenzinho – SP.

17 de setembro de 2018

Teatro Uma Pátria Habitável

Foto: Divulgação

O Projeto "Teatro Uma Pátria Habitável" traz a japonesa mestra da arte Butoh Yumiko Yoshioka e espanhol Miguel Camarero (foto) irão ministrar oficinas, preparar espetáculos e interpretar em eventos que vão de 18 a 29 de setembro, na Refinaria Teatral, que fica na Zona Norte de São Paulo. Ao todo serão duas oficinas e quatro apresentações. O projeto foi contemplado pela 32ª Edição da Lei de Fomento ao Teatro para a cidade de São Paulo. A maioria dos eventos são gratuitos exceto os dos dias 28 e 29 de setembro.

Apresentações:

Monólogo Antes do amanhecer com Yumiko Yoshioka
“Before Dawn – Antes do amanhecer”, uma dança/teatro de metamorfose, onde a escuridão se transforma em brilho. Através de sua própria transformação, Yumiko ilumina segredos em nossos corpos. Criaturas escondidas em nossas memórias esquecidas começam alegremente a reviver. Algo grotesco, embora estranhamente belo, atrai nossa atenção. Nós não podemos deixar de ser cativados por esta força estranha, uma fonte de escuridão e luz.
  
Monólogo Con-sequência de Miguel Camarero 
Uma sequência de acontecimentos da vida que acabam gerando consequências. Ações que parecem estar separadas uma das outras, mas são reflexos de acontecimentos que se conectam. Miguel mostra neste monólogo a força de seu dança-teatro, o “BodyKronos”.

Peregrinação - demonstração de trabalho (Work in progress) da Refinaria Teatral 
"Peregrinação" é o nome dado a abertura pública de uma parte do processo da construção da nova obra do grupo Refinaria Teatral, a peça "O Ritual". A exposição e abertura do trabalho em modelo de apresentação, demonstra em ação algumas etapas do processo do grupo de seu “Teatro Marcial”. Passa por exercícios para construção da estética, a criação do personagem com a proposta estética partindo de técnicas especificas, improvisações até chegar na exposição de cenas sequenciais do novo trabalho, a obra “O Ritual”.

Para maiores informações da programação do Projeto Teatro Uma Pátria Habitável, a Sede do Grupo Refinaria Teatral fica na R. João de Laet, 1507 - Vila Aurora – SP e o Tel: (11) 3624-9301.

14 de setembro de 2018

Carmen, a Grande Pequena Notável

Foto: Leekyung Kim

Há exatos 90 anos Carmen Miranda (1909-1955) cantava pela primeira vez na rádio carioca Roquete Pinto. Portuguesa radicada no Brasil, a cantora estava prestes a se tornar um dos maiores símbolos da cultura brasileira para todo o mundo. Em comemoração a essa data, "Carmen, a Grande Pequena Notável", com direção de Kleber Montanheiro, estreia no dia 15 de setembro no Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo (CCBB SP). O espetáculo fica em cartaz até 26 de janeiro de 2019, com apresentações aos sábados, às 11h.
O musical é inspirado no livro homônimo de Heloísa Seixas e Julia Romeu, que venceu o Prêmio FNLIJ de Melhor Livro de Não Ficção em 2015. Quem dá vida à diva é a atriz Amanda Acosta, que divide o palco com Daniela Cury, Luciana Ramanzini, Maria Bia, Samuel de Assis e Fabiano Augusto. Os músicos Maurício Maas, Betinho Sodré, Monique Salustiano e Marco França também estão em cena.
Para contar essa história, o espetáculo adota a estrutura, a estética e as convenções do Teatro de Revista Brasileiro, no qual Carmen Miranda também se destacou. “Utilizamos a divisão em quadros, o reconhecimento imediato de tipos brasileiros e a musicalidade presente, colaborando diretamente com o texto falado, não como um apêndice musical, mas sim como dramaturgia cantada”, explica o diretor Kleber Montanheiro.
O Centro Cultural Banco do Brasil SP fica na Rua Álvares Penteado, 112, Centro - SP.

13 de setembro de 2018

Casa de Bonecas – Parte 2

Foto: Miro

O espetáculo Casa de Bonecas – Parte 2, com dramaturgia do jovem norte-americano Lucas Hnath e direção de Regina Galdino, reestreia no dia 14 de setembro no TUCARENA. A peça fica em cartaz até 2 de dezembro, com sessões às sextas-feiras, às 21h; aos sábados, às 20h; e aos domingos, às 18h. A tradução é de Marcos Daud, e o elenco é formado por Marília Gabriela, Luciano Chirolli, Eliana Guttman e Clarissa Kiste.

Publicado em 1879, o clássico “Casa de Bonecas”, do dramaturgo norueguês Henrik Ibsen (1828-1906) causou polêmica ao questionar as convenções sociais e o casamento como uma instituição. A peça até hoje é considerada feminista.

Na sinopse, Nora, a emblemática personagem criada por Ibsen no século XIX, volta à casa dos Helmer – 15 anos depois de ter abandonado o marido e seus filhos – em busca do divórcio. Em meio ao julgamento da criada, do marido e de sua filha mais nova revela seus ideais revolucionários sobre o amor livre e contra o casamento.

A diretora Regina Galdino diz que o espetáculo chama a atenção pela qualidade dos diálogos. “O jovem autor, Lucas Hnath, desenha os diálogos como se fossem poemas modernos, gráficos, indicando ritmos, sonoridades, pausas, repetições e intenções que dispensam as tradicionais rubricas. O texto ganha uma musicalidade muito particular, e, num misto de comédia e drama, as relações das personagens surgem límpidas e cortantes, sem maniqueísmos. Futuro e passado, utopia e tradição, luminosidade e trevas, opção e necessidade, maturidade e juventude, coragem e medo, casamento e amor livre, são algumas das contradições que o público irá acompanhar nessa trajetória da personagem Nora em busca de sua identidade, negando a sociedade forjada em mentiras”, diz.

TUCARENA fica na Rua Monte Alegre, 1024 - Perdizes - SP.

12 de setembro de 2018

Catharina

Foto: Divulgação

Paraibano, residente em Salvador, Val Macambira lança seu novo álbum autoral "Catharina", no dia 14 de setembro, às 20h, no Itaú Cultural.

Ainda na capital paulista, os shows acontecem também no dia 20/9 (no Brazileria, às 21h) e no dia 21/9 (no Tendal da Lapa, às 19h). Depois, segue para o Mimo Festival, em Paraty/RJ (dia 28/9). A turnê, que teve início em Salvador (BA), deve passar também pelas cidades Belo Horizonte (MG), Recife (PE) e João Pessoa (PA).

Val Macambira revela que foi ‘parto’ dolorido a produção do álbum, gravado em homenagem à sua filha Catharina, que faleceu de dengue hemorrágica, aos 17 anos. “Entre flagelos, sofrimentos e muita saudade renasci das músicas e senti que estava pronto para registrar esse trabalho musical”, confessa.

O show Catharina constrói um curioso contraste ao transpor o sertão e seu universo peculiar, rural, árido e silencioso, para um espaço urbano. São 10 músicas, compostas exclusivamente para o álbum, cujos arranjos trazem traços do lírico e do barroco compondo com as raízes do rock rural, sem perder o foco no sertão. A cultura popular e o erudito se entrelaçam em harmonia nesse trabalho fazendo uma união ímpar do violino e violoncelo com a estética musical de gêneros como maracatu, repente, embolada, xote, xaxado e baião, que resulta em um ritmo cheio de originalidade. As letras e melodias do disco traduzem o cotidiano do povo brasileiro e dos personagens da cultura popular, onde o folclore se torna lúdico e vivo.

Shows / São Paulo: Val Macambira & Banda

14 de setembro. Sexta, às 20h no Itaú Cultural (Sala Itaú Cultural)
Av. Paulista, 149 - Bela Vista. SP/SP 

20 de setembro. Quinta, às 21h no Brazileria
R. Clélia, 285 – Perdizes. SP/SP. 

21 de setembro. Sexta, às 19h no Tendal da Lapa
Rua Guaicurus, 1100 – Lapa. SP/SP. 

11 de setembro de 2018

Blues

Foto: William Mazzar

Dias 15 e 16 de setembro estreia o espetáculo "Blues – Concerto para Piano" no Capital 35 em Perdizes. A criação, coreografia e direção é de Dinah Perry. Os intérpretes são: Átila Freire, Ana Carolina Barreto, Bruno Bossio e Josefina Padilla. O roteiro musical será de Rodolfo Schwenger que estará ao vivo ao piano. 

O "Blues – Concerto para Piano" é espetáculo com conceito em artes cênicas, linguagem corporal e no gênero musical blues. O roteiro é ilustrado por baladas narrativas que complementam a dramaturgia do trabalho.

São personagens vividos por bailarinos-atores que traçam a narrativa do corpo em movimento alinhados ao estilo musical que frequentemente apontam para questões internas do indivíduo como solidão, relacionamentos, caminhos cruzados e histórias de vida.

O Capital 35 fica na Rua Capital Federal 35, Perdizes - São Paulo e o espetáculo acontece sábado às 21h e domingo, às 19h.

10 de setembro de 2018

IRA!

Foto: Iasmin Daher

O projeto Álbum do Sesc Belenzinho apresenta a banda paulistana IRA! em show do disco Psicoacústica (1988), que completou 30 anos em 2018. São duas apresentações, dias 14 e 15 de setembro na Comedoria da unidade, às 21h30.

Com a mesma formação desde a volta do grupo, em 2014, IRA! é Nasi (vocal), Edgard Scandurra (guitarra e vocais), Evaristo Pádua (bateria), Johnny Boy (teclados e violão) e Daniel Rocha (baixo).

Os dois primeiros álbuns da banda, Mudança de Comportamento (1985) e Vivendo e Não Aprendendo (1986), trazem riffs de guitarras e influência de sons da década de 60; estão mais ligados ao universo hard e pop. Psicoacústica apresenta um som mais experimental e lisérgico com músicas sem refrão, solos longos, momentos instrumentais e uma atmosfera meio sombria. Com oito faixas e pouco mais de 30 minutos de duração, o disco entrou para a história do rock brasileiro, reconhecido como um dos mais ousados da época.  Atualmente, figura na lista dos 100 maiores discos da música brasileira pela revista Rolling Stone, em 81º lugar.

As faixas de Psicoacústica são: Rubro Zorro (E. Scandurra, André Jung, R. Gaspa e Nasi), Manhãs de Domingo (E. Scandurra), Poder, Sorriso, Fama (E. Scandurra), Receita Para se Fazer um Herói (E. Scandurra, Nasi, André Jung, R. Gaspa, e Reinaldo E. Ferreira), Pegue Essa Arma (E. Scandurra), Farto do Rock 'n' Roll (E. Scandurra, R. Gaspa), Advogado do Diabo (Nasi e André Jung), Mesmo Distante (Edgard Scandurra) e a faixa-bônus (versão K7) Não Pague Pra Ver (Edgard Scandurra).

Além das músicas do álbum, a banda também toca clássicos como Flores em Você, Dias de Luta, Núcleo Base, Envelheço na Cidade, Eu Quero Sempre Mais, Tarde Vazia e Girassol.

O Sesc Belenzinho fica na Rua Padre Adelino, 1000 - São Paulo.