21 de fevereiro de 2020

Estamos na folia...


... E vamos voltar no dia 27/02. Até lá, relaxe ou brinque, mas se divirta na maior festa cultural do Brasil. 

20 de fevereiro de 2020

O Portal Encantado

Foto: Aílton Rosa

O Grupo Dragão7 de Teatro estreia no dia 7 de março, às 11 horas, o espetáculo de bonecos para bebês "O Portal Encantado", no Teatro das Artes, com direção de Creuza F Borges.

Com enredo sensorial e lúdico, o espetáculo apresenta a criação do universo a partir do átomo e suas combinações, dando origem à matéria. A viagem passa pelo surgimento das estrelas, das galáxias, dos planetas, da Terra, dos continentes, das florestas.

Explorando os efeitos de luzes e de cores, a encenação chega à Floresta Amazônica, trazendo para os pequeninos a exuberância de sua fauna e flora, apresentando-lhes o índio, além de mitos, lendas e seres da Amazônica: o boto, o curupira, o canto do uirapuru, a arara azul e a boiuna (cobra grande).

O roteiro foi desenvolvido conjuntamente por Sérgio Portela, Creuza F Borges e pelas atrizes manipuladoras Mônica Negro e Marisa Mainarte. Às falas coube somente o papel necessário, a exemplo do jogo com sinônimos de palavras ou coisas na língua tupi-guarani. No espetáculo predominam o visual, as sensações e o encantamento dos bonecos, criados por Lucas Luciano.

O Dragão7 de Teatro é uma companhia que atua, desde 1988, tendo em seu repertório várias montagens, adultas e infantis, que já foram apresentadas em palcos nacionais e internacionais. Atualmente, com O Portal Encantado, investe nessa nova linguagem, que vem sendo explorada em vários países: o teatro para bebês de seis meses a quatro anos de idade. Em novembro de 2019, aconteceram quatro sessões muito bem sucedidas no Teatro Sérgio Cardoso, estimulando o grupo a colocar o espetáculo em cartaz.

19 de fevereiro de 2020

Uma Frase Para Minha Mãe

Foto: Dalton Valério

Com 40 anos de carreira, a atriz e diretora Ana Kfouri estreia no dia 6 de março no Sesc Belenzinho o bem-sucedido monólogo "Uma Frase Para Minha Mãe", pelo qual foi indicada aos prêmios Shell, Cesgranrio e Botequim Cultura de melhor atriz. De 6 a 29 de março, sexta e sábado, 21h30, e, domingo, 18h30.
A dramaturgia, assinada pelo escritor, poeta e crítico literário francês Christian Prigent, tem toques proustianos ao refletir sobre o despertar para a literatura e o nascimento de um escritor. O texto mobiliza sensações afetivas e corporais ligadas à figura da mãe e à língua materna, envolve afeto, filosofia, pensamento, visão de mundo, política e pesquisa de linguagem. A direção é da própria Ana Kfouri, com colaboração artística de Marcio Abreu
A peça encena o despertar para a língua e para a literatura, mobilizando sensações afetivas e corporais ligadas à figura da mãe. É também um convite ao público para transitar pela experiência da palavra, antes de tudo, e, portanto, um convite à escuta. A peça sugere um exercício de abandono do espectador, que ele se deixe estar ali não para ver alguém atuar, mas para se deixar tocar, afetar, rememorar, atravessar-se por palavras, ritmos e sentidos.

18 de fevereiro de 2020

Caros Ouvintes

Foto: Heloisa Bortz

Visto por mais de 70 mil espectadores, o premiado espetáculo "Caros Ouvintes", com texto e direção de Otávio Martins, volta em cartaz no Teatro Vivo a partir de 4 de março. A peça estreou em 2014, venceu os principais prêmios do teatro paulistano, como o Shell e o Aplauso Brasil, além de ter recebido destaque no site Times Square Chronicles.
O elenco é formado por Marcello Airoldi, Thiago Albanese, Agnes Zuliani, Natállia Rodrigues, Eduardo Semerjian, Alex Gruli, Carol Bezerra e Léo Stefanini.
Caros Ouvintes é uma comédia sobre o começo das telenovelas, sob o ponto de vista dos atores que faziam sucesso nas radionovelas. Na década de 1960, quando os aparelhos de televisão começaram a fazer parte das casas brasileiras, o público começou a prestar atenção não somente na voz dos personagens, mas também em sua imagem. Assim, muitos atores que faziam sucesso no rádio começaram a temer a TV: muitos galãs eram gordinhos e carecas, muitas mocinhas já eram senhoras.
Na comédia, a ação se passa numa das últimas emissoras a produzir radionovelas. O elenco prepara uma grande apresentação ao vivo, para depois se despedir do público em um palco armado do lado de fora da rádio. 

17 de fevereiro de 2020

Corpo

Foto: Lucas Mayor

Em cartaz no Teatro Cemitério dos Automóveis, o espetáculo "Corpo" prorroga temporada até dia 8 de março. A peça reúne cinco peças curtas de Carla Kinzo, Fernanda Rocha, Lucas Mayor, Marcos Gomes e Silvia Gomez que surgiram a partir do texto “O Inquietante”, de Sigmund Freud. As cenas investigam de diferentes maneiras as noções de corpo e do efeito de estranhamento do cotidiano. Entre as situações retratadas nas peças curtas, estão um casal que discute as mudanças em suas vidas trazidas pela chegada do filho; uma consulta indiscreta de uma mulher que tem uma mancha na visão com sua oftalmologista; a relação inusitada entre dois vizinhos; uma mulher e um homem que se confrontam com o aparecimento de algo estranho no corpo de um deles; e os comentários de duas irmãs sobre a gravidez de uma terceira.

O Teatro Cemitério de Automóveis fica na Rua Frei Caneca, 384, Consolação. A temporada vai até o dia 8 de março, aos sábados, às 21h; e domingos, às 20h - a peça não faz apresentações no carnaval.

14 de fevereiro de 2020

Ocupo o Minhocão

Foto: Divulgação

Dia 24 de fevereiro, segunda-feira de Carnaval, estreia o bloco Ocupo o Minhocão. Com música de Ivan Paladini e letra de Hermano Leitão, o bloco vai brincar com umas das vias mais icônicas de São Paulo. A concentração começa às 11h, na Água Branca, no Largo Péricles, e segue até a rua Tagipuru.

Em estreia no carnaval da cidade de São Paulo, o bloco Ocupo o Minhocão nasceu da inspiração do advogado e artista Hermano Leitão, que, na rotina do trânsito engarrafado, tem o elevado como rota na ida e volta para o trabalho. Com tempo para divagar nesse trajeto, compôs uma letra sobre o viaduto mais icônico da capital. A letra então foi musicada por cantor e compositor Ivan Paladini. Com música afinada, Hermano formou o bloco com os atores Claudiane Carvalho, Gabriel Monteiro, Luana Martins e Roger Rodrigues. Os músicos são: Beto Beira, Chiquinho Santos, Luciano Grima, Michel Lopes e Paulinho Pretensão.

O Abadá e a identidade visual do bloco foram desenvolvidos pelo Ivan Paladini.  Os simpatizantes do Minhocão também participam dessa ocupação carnavalesca. Além do puxador oficial, Ivan, outros membros do Minhocão que quiserem poderão puxar a música enredo.

12 de fevereiro de 2020

Este Corpo que Não te Pertence

Foto: Rubens Macedo

Na atual temporada da comédia "Este Corpo que Não te Pertence", a Cia dos Bonitos, buscando maior interação e descontração, serve pequenas taças de vinho para o público, na entrada do sala no Espaço Parlapatões. O espetáculo - com texto e direção de Djalma Lima - está em cartaz às quintas-feiras, às 21 horas, até o dia 27 de fevereiro.

“Servimos vinho ao público na noite da reestreia e percebemos que as pessoas ficaram mais descontraídas, o que é muito propício ao clima da comédia. Com menos prevenção o riso vem mais fácil, e essa singela celebração ainda dá ganchos para improvisos e interação com os atores. E quem não bebe álcool pode optar pela água”, comenta o diretor Djalma Lima.

"Este Corpo que Não te Pertence" conta a hilária história de um militar idoso que planeja trocar de corpo com seu sobrinho jovem por meio de um beijo. Um jogo ágil e divertido se estabelece entre atores Cleber Tolini, Edson Gonçalvez, Rick Conte, Van Manga e Vânia Bowê. Todos interpretam todas as personagens de forma inesperada e surpreendente.

Mascarenhas é um general aposentado e rico que pretende voltar a ser jovem. Para isso, ele planeja trocar de corpo com o ingênuo Henrique, seu jovem sobrinho, e contrata uma mãe de santo que tem o poder de fazer a troca de corpos por meio de um beijo. Paralelamente, a esposa infiel do militar se une ao médico da família para seduzir o rapaz, envenenar o marido e ficar com toda a fortuna. Sem saber dos planos, o sobrinho comparece a uma leitura do testamento do general, em vida, ignorando que seu corpo seja o objeto mais desejado da noite. Sem condições físicas de beijar o sobrinho à força, o general acaba trocando de corpo com outras pessoas, descobrindo seus segredos e verdadeiras intenções.