19 de outubro de 2018

Por Trás da Cor dos Olhos - Na Imanência do Movente

Foto: Divulgação

Nos dias 20 e 21 de outubro, sábado (às 19h30) e domingo (às 17h30), o Sesc Belenzinho recebe o espetáculo Por Trás da Cor dos Olhos - Na Imanência do Movente, da Pulsar Cia. de Dança, grupo do Rio de Janeiro, integrando o projeto Poéticas do Acesso.

Em cena, oito bailarinos, entre os quais um é cadeirante, apresentam um trabalho que inclui movimentos aéreos e possibilita ao público e aos próprios intérpretes vivenciar a relação com o peso e a suspensão.

Concebido por Maria Teresa Taquechel, Por Trás da Cor dos Olhos traz os intérpretes em resoluções próprias de movimento. São corpos impares, no chão. Eles se deslocam por meio de apoios, pressões e sobreposições, acionando diversos caminhos dentro da estrutura corporal, criando possibilidades de jogos, desenhos, encontros e desencontros. Reações, inibições e afecções são geradas no movente ações na busca pela imanência.

Inusitados caminhos dentro da estrutura corporal são acionados, gerando movimentos, desenhos, relações e estados perceptivos no meio em que estão inseridos. Assim, revela-se a imanência do movente na composição entre movimento, música, luz, figurino e cenografia.

O cenário composto por véus suspensos, segundo a diretora, produz o efeito revelação na sensação do peso dos corpos e das partes. “Os bailarinos estão o tempo todo em cena de forma integrada. É um grande jogo de composição. Cada um trabalha dentro das suas possibilidades”, comenta Maria Teresa.

Por Trás da Cor dos Olhos é uma releitura do primeiro espetáculo da Pulsar, realizado há mais de 12 anos. Na ocasião, já havia o trabalho aéreo, mas os cadeirantes ainda não faziam parte do espetáculo. “Temos uma parceria com a Intrépida Trupe, que faz uma coordenação técnica para ajudar a gente a lidar com essa estrutura”, diz Teresa.

Sesc Belenzinho fica na Rua Padre Adelino, 1000 - SP.

18 de outubro de 2018

Vagner Ferreira e o Trio Tokeshi Rosas Bazarian

Foto: Divulgação

No dia 20 de outubro, às 20h, o CMB apresenta Vagner Ferreira ao piano e o Trio Tokeshi Rosas Bazarian de violino, clarinete e piano. O evento é gratuito!

Vagner Ferreira obteve diversos primeiros lugares em vários Concursos de Piano no Brasil. No exterior, foi vencedor do Prêmio Solista de Orquestra promovido pela Universidade Estadual da Pennsylvania, tendo participado como solista da temporada 2006 da Penn State Symphony Orchestra nos Estados Unidos, e também vencedor do primeiro prêmio no 2006 PSU Graduate Exhibition pela execução da Sonata nº 1 de Alberto Ginastera. No repertório do recital do CMB interpretará Camargo Guarnieri, Osvaldo Lacerda e Villa-Lobos.

O Trio Tokeshi Rosas Bazarian é formado por Eliane Tokeshi ao violino, Giuliano Rosas no clarinete e Lidia Bazarian ao piano. Em sua trajetória como instrumentistas e como grupo, o trio sempre inclui obras do repertório tradicional e contemporâneo. Tem estreado obras inéditas e com o intuito de ampliar o repertório para esta formação, solicitando encomendas a compositores atuantes. No repertório, os músicos interpretarão Claudio Santoro, Osvaldo Lacerda e Ronaldo Miranda.

A apresentação acontecerá na Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico que fica na Rua Ferreira de Araújo, 741 - São Paulo.

17 de outubro de 2018

Na Cama

Foto: Kelson Spalato
O premiado filme chileno “En La Cama” (2005), com roteiro de Julio Rojas, ganha sua primeira adaptação brasileira para o teatro em "Na Cama", com direção de Renato Andrade, que estreia no dia 18 de outubro no Teatro Viradalata. A peça segue em cartaz até 29 de novembro, com sessões às quintas-feiras, às 21h.
A comédia romântica narra o primeiro e último encontro entre Bruno (Pedro Bosnich) e Daniela (Cristiane Wersom), que se conheceram em uma festa horas antes. Entre os lençóis, eles compartilham algumas de suas verdades e fantasias. Sem expectativas ou compromisso, o casal se revela aos poucos.
Com direção de Matias Bize, o filme foi premiado nos festivais de Valladolid, na Espanha, de Havana, em Cuba, e de Viña Del Mar, no Chile; foi indicado ao Prêmio Goya 2007; e fez parte da seleção oficinal dos festivais de Locarno, na Suíça, e Los Angeles, nos Estados Unidos.
O Teatro Viradalata fica na Rua Apinajés, 1387 - SP.

16 de outubro de 2018

Meia-Meia

Foto: Zeca Caldeira

A busca pelo poder e o lado mais mesquinho e sórdido do ser humano são motes de "Meia-Meia", texto livremente inspirado no romance O anão (1944), do sueco Pär Lagerkvist (vencedor Prêmio Nobel de Literatura em 1951). Com direção de Juliana Jardim e Georgette Fadel, o espetáculo estreia no dia 19 de outubro no Sesc Pompeia, e segue em cartaz até 11 de novembro.
Este é o primeiro monólogo de Luís Mármora, que também foi idealizador da montagem. “O espetáculo nasceu de um convite meu para o Vadim Nikitin. Eu queria fazer um monólogo que tivesse a política como temática central. Não queria um personagem que fosse a representação do poder, mas que desfrutasse dele, bebesse dos privilégios. E o Vadim lembrou dessa obra que é praticamente desconhecida no Brasil, teve uma única edição em 1970. Embora tenha sido escrito em plena 2ª Guerra Mundial, em alguns trechos do romance dá quase para dizer que é uma ficção para a teoria de Maquiavel, sobre como ele descreve as possíveis tomadas de poder”, comenta o ator.
A história do anão Meia-Meia conta, com humor mordaz, detalhes do que acontece nos subterrâneos do Palatz, seu amor pela guerra e como, atrelado completamente a seu Printz, conduz à desolação a família real, seus aliados e toda a gentalha do reino. Meia-Meia é um pequeno terrorista.
O Sesc Pompeia fica na Rua Clélia, 93 - SP.

15 de outubro de 2018

Itinerário do Pasárgada

Foto: Divulgação

Em comemoração a seus 47 anos de história, o grupo Pasárgada apresenta a mostra de repertório Itinerário do Pasárgada. Os espetáculos tem entrada grátisPanos e Lendas, nos dias 27 e 28 de outubro, às 16h; e Labirinto de Filó, entre 03 e 18 de novembro, aos sábados e domingos, às 16h. Ambos espetáculos no Teatro João Caetano.
Comemorando 40 anos de sucesso, Panos e Lendas, de José Geraldo Rocha e Wladimir Capella, fala sobre a criação do mundo a partir do olhar de dois índios, que usam suas raízes e seus costumes para tratar do ciclo da vida, com ternura e simplicidade. O espetáculo homenageia a cultura popular com lendas brasileiras, parlendas e cantigas de roda e de ninar tocadas ao vivo.
Labirinto de Filó, de José Geraldo Rocha, narra a história da curiosa e perguntadeira Minhoca Filó, que tem um monte de ideias e dúvidas na cabeça. Ela, a Menina da Rua de Cima e o Menino da Rua de Baixo se perdem em um labirinto de buracos e túneis. A filosofia e a música para crianças, tocada e cantada ao vivo, norteiam o espetáculo. A narrativa busca elementos das lendas gregas, nos fios de Ariadne e no enigma da Esfinge, para construir a jornada das personagens. A curiosidade da personagem Minhoca Filó é respondida ao longo da história, não de maneira precisa e científica, mas divertida e poética, mantendo acesa a imaginação e provocando o desenvolvimento criativo.
O Teatro João Caetano fica na Rua Borges Lagoa, 650 - SP.

12 de outubro de 2018

Beba Zanettini & Eva Jagun

Foto: Uwe Hauth

O pianista, compositor e arranjador paulista Beba Zanettini apresenta-se no Teatro do Sesc Belenzinho com participação da convidada Eva Jagun, cantora e compositora de alemã. No formato sexteto, o show, que integra o projeto Jazz Clube da unidade, acontece no dia 14 de outubro, domingo, às 18 horas.

No roteiro da apresentação estão composições do disco Canto da Areia, lançado por Zanettini em 2017, além de músicas da convidada Eva Jagun, considerada embaixadora da música brasileira em Berlim. O sexteto de Beba Zanettini (piano e teclado) traz músicos do calibre de Marcos Klis (contrabaixo), Paulo Oliveira (sax e flauta), Felipe Ávila (guitarra), Gudino Miranda (bateria) e Keila Abeid (voz).

O show Canto da Areia sintetiza a trajetória musical de Beba, sempre norteada pela canção e pela música instrumental brasileira. Baseado em seu CD de mesmo nome, o show reverbera também em trabalhos instrumentais desenvolvidos com os grupos Café Jam e Aquilo Del Nisso e no seu lado compositor de canções que resultou no primeiro CD solo, Beba Música! (2009).  O público vai apreciar um espetáculo que mescla ritmos como o samba, o choro, o jazz, a bossa-nova e a world music.

O Sesc Belenzinho fica na Rua Padre Adelino, 1000 - SP.

11 de outubro de 2018

As Irmãs Siamesas

Foto: Heloisa Bortz

O espetáculo teatral As irmãs siamesas” é imperdível e, sim, existem vários elementos que corroboram para isso. Do texto à iluminação há uma impecabilidade e profissionalismo singular. O texto é humano e trabalha em suas entrelinhas com o melhor que há no comportamento de um indivíduo. Duas irmãs que a partir de suas diferenças, anseios e expectativas de vida falam do passado, presente e futuro enquanto remexem no baú da mãe, recém falecida. O autor, José Rubens Siqueira, atravessa os conflitos com diálogos inteligentes e que prendem a atenção da audiência. No texto, existem outros personagens (o laço vermelho, sapato, relógio etc.) que acresce e diversifica à trama, ora dando suavidade à divergência de pensamentos das personagens, ora apimentando ainda mais a relação com viés forte de quem sabe o que quer falar. Há um realismo poético. A direção é extremamente sensível e dá a mesma atenção tanto aos detalhes quanto ao todo. Convence! As interpretações são célebres. Há de se atentar aos detalhes do sotaque, do andar, do falar, do abraçar e do distanciar. Aqui, eu preciso fazer um destaque para Cinthya Hussey que se entregou ao papel de maneira tão magistral quanto elogiável. Na estreia, as atrizes foram ovacionadas por puro merecimento. O trabalho da iluminação é sutil, mas também não posso deixar de comentar, já que pela tenuidade composta teve também sua participação eficaz, uma vez que nos proporcionou enxergar, de fato, as siamesas. Se ficar em São Paulo neste feriado, mais que recomendo uma passada no Teatro Aliança Francesa para se deleitar com a peça. O espetáculo fica até o dia 2 de dezembro, todas as sextas e sábados (às 20h30) e domingos (às 19h) no Teatro Aliança Francesa que fica na Rua Gen. Jardim, 182 - Vila Buarque. São Paulo - SP. Mais que recomendo!

Folias Brechtianas – 7 Diretores, 7 Intervenções

Foto: Cacá Bernardes e Bruna Lessa

O grupo de teatro Folias D´Arte convidou sete diretores para desenvolver, a partir da obra do poeta e dramaturgo alemão Bertolt Brecht, cenas e intervenções de curta duração. Elas ocorrerão dentro, fora ou entre o Galpão do Folias e as ruas da Santa Cecília. Canções e poemas de Bertolt Brecht e seus contos em “Histórias do Sr. Keuner”, serão ensaiadas e abertas ao público dentro, fora e entre o Galpão do Folias e a rua. 

A segunda intervenção do projeto chama-se “Brecht Sample-Aos que Hesitam ou Somos o que sobrou?” e foi concebida por Eugênio Lima. A performance integra discursos históricos, imagens, depoimentos pessoais, personagens e poemas do dramaturgo alemão Bertold Brecht. Cada performer trará em cena samples (recortes da obra de Brecht), unindo este material com os dilemas do tempo que nos toca viver. É um mosaico-sonoro-imagético-performático no território Ana Cintra/Santa Cecília/São Paulo/Brasil. Com o microfone em mãos, a pergunta que não cala é: “Somos o que Sobrou? Com quem podemos contar?”

O Galpão do Folias fica na Rua Ana Cintra, 213 - SP. As apresentações são gratuitas e acontecerão nos dias 15 e 16 de outubro, às 20h.

10 de outubro de 2018

Só + 1 Pouquinho

Foto: Divulgação

O Especial Brincadeira no mês da criança no Sesc Belenzinho tem música e percussão corporal e vocal para a garotada com o Barbatuques. O grupo estreia seu novo show, "Só + 1 Pouquinho", nome também do CD que será lançado ainda em 2018.

No dia das Crianças (12/10), duas sessões prometem agitar o Teatro da unidade, às 12h e às 18h. Entre os dias 13 e 27, os shows acontecem aos sábados e domingos, sempre às 12h. Crianças menores de 12 anos, acompanhadas do responsável, não pagam ingresso.

"Só + 1 Pouquinho" é o segundo projeto do grupo concebido especialmente para as crianças (o primeiro foi Tum Pá, em 2012). O show promete inspirar os pequenos e despertar sentidos para a música por meio da percussão corporal e vocal. 

As novas canções do Barbatuques são inspiradas nas relações que permeiam o universo da criança, abordando temas e situações do dia a dia, como por exemplo: o medo de dormir, as inseguranças na escola, a formação da identidade, a relação com os pais, avós e bichos de estimação e a amizade, sem esquecer as fantasias e a imaginação, fatores tão presentes e importantes durante a infância.

O Sesc Belenzinho fica na Rua Padre Adelino, 1000 - SP.

9 de outubro de 2018

Dois a Duas

Foto: Marina Wang

Com muita sensibilidade e sem pieguices, "Dois a Duas", de Maria Fernanda de Barros Batalha, investiga a juventude contemporânea e a descoberta da homossexualidade. O espetáculo, dirigido por Erica Montanheiro e Mariá Guedes, estreia no dia 11 de outubro na Oficina Cultural Oswald de Andrade, e segue em cartaz até 17 de novembro, com entrada gratuita.

A trama narra a história de Lígia, uma adolescente que estuda em uma escola particular de São Paulo, onde sua mãe trabalha como bedel. Embora seja uma aluna dedicada e mantenha uma proximidade com a professora de literatura, ela não vê a hora de acabar o ensino médio. Seus melhores amigos, o casal Ana e Márcio, vivem uma conturbada relação. Uma descoberta sobre ela mesma fará com que Lígia tenha seus caminhos transformados.

O elenco é formado pelos atores Bia Toledo, Bruna Betito, Jhenifer Santine, Luis Seixas e Luzia Rosa e pelas musicistas Maria Fernanda de Barros Batalha, Monique Salustiano e Rayra Maciel.

A montagem do texto foi idealizada pela dramaturga Maria Fernanda de Barros Batalha, que convidou a atriz e diretora Erica Montanheiro para dirigir o espetáculo. A primeira leitura pública do texto, ainda em processo de escrita, foi realizada no Teatro Sérgio Cardoso, em 2014.

A Oficina Cultural Oswald de Andrade fica na Rua Três Rios - SP. As apresentações acontecerão às quintas e sextas, às 20h; e aos sábados, às 18h.

8 de outubro de 2018

Baterias Brasileiras

Foto: Rodrigo Kassab

O projeto "Baterias Brasileiras - Um panorama da evolução da bateria brasileira" está no Sesc Belenzinho, reunindo importantes instrumentistas de expressão nacional e internacional. Em outubro, acontecem shows, bate-papo e workshop.

Cada show programado para este mês conta com dois grandes nomes da bateria brasileira. São eles: Igor Willcox & Duda Neves / Série Jazz e Brazilian Jazz (19/10 às 21h); e Fernando Amaro & Carlos Bala / Série Side Man (26/10 às 21h).

Mediado por Carlos Calado, o bate-papo do mês (25/10 às 20h) aborda os aspectos da carreira profissional do baterista. Participam Duda Neves,Igor Willcox, Carlos Bala e Fernando Amaro. E quem comanda o workshop Bateria Total (24/10 às 20h) é Duda Neves.

O Sesc Belenzinho fica na Rua Padre Adelino, 1000 - SP. Para maiores informações acesse o site www.sescsp.org.br/belenzinho.

5 de outubro de 2018

Programação Literária


A programação literária do Sesc Consolação preocupa-se exclusivamente com as crianças em outubro. A especialista Susana Ventura ministra o curso “Clássicos da Literatura para a Infância: seleção, mediação e fruição”, que convida educadores para discutir como a produção de livros desse gênero evoluiu desde o século 19. A atividade acontece entre 22 e 25 de outubro, de segunda a quinta, das 19h às 21h30.
Já o bate-papo “Representações de Infância nos Livros Infantis Brasileiros: A Visão das Editoras Independentes”, que acontece na quarta-feira, dia 17, às 19h, convida duas editoras especializadas em literatura infantojuvenil para falar sobre o cenário atual na área. Participam da conversa Lizandra Magon, da Pólen Livros, e Marcia Leite, da Pulo do Gato. A mediação é de Denise Guilherme, idealizadora da Taba.
O Sesc Consolação fica na Rua Dr. Vila Nova, 245, SP.

4 de outubro de 2018

Fios de Memória - Oficina de Narrativas e Dança Expressiva


A programação de outubro do Sesc Consolação tem duas atividades voltadas aos idosos: o espetáculo de teatro “Fios de Memória”, com dramaturgia e atuação de Claudemir Santana, e a “Oficina de Narrativas e Dança Expressiva”, ministrada pela arte-terapeuta e contadora de histórias Célia Gomes.
Em “Fios de Memória”, o público acompanha a rotina de um palhaço com Alzheimer chamado Joca. O personagem é representado por um boneco animado e a sua memória, pelo ator-manipulador. Sem falas, a dramaturgia é toda construída com luz, música e o cenário, elementos que vão se desfazendo ao longo da peça.
Já a “Oficina de Narrativas e Dança Expressiva”, atividade do programa Prosa 60+, trabalha a noção de corpo expressivo, aquele que quer se mover e expressar suas emoções, desejos, imaginação e criatividade. Os participantes entram em contato com poemas, histórias e mitos e devem deixar seus corpos se expressarem por meio da dança para representar as imagens narradas.
O Sesc Consolação fica na Rua Dr. Vila Nova, 245, Vila Buarque, SP.

3 de outubro de 2018

Dia das Crianças


O Sesc Consolação comemora o Dia das Crianças em grande estilo durante todo o mês de outubro. No próprio feriado do dia 12, a unidade e a Biblioteca Monteiro Lobato organizam a programação "Pé de Letras", com várias atividades que misturam leitura e brincadeiras. O evento tem cortejo musical, troca de livros, feira de editoras infantis independentes, jogos de tabuleiro, instalações, brincadeiras de rua, show de marchinhas de carnaval que homenageiam as personagens do Sítio do Pica Pau Amarelo e várias outras atrações.
Outro destaque é a mostra de repertório do "Maracujá Laboratório de Artes", que reúne três peças infantis, apresentadas aos sábados e no feriado, sempre às 11h. O espetáculo “O Buraco do Muro” conta a história de três crianças que descobrem o universo mágico da leitura; “Nerina, a Ovelha Negra” fala sobre uma ovelhinha que foi expulsa do rebanho por ter cor diferente das demais; e “As Aventuras de Bambolina” narra a trajetória de uma bonequinha de pano que foi colocada para fora de casa por sua dona.
Inspirada no conto “A Terceira Margem do Rio”, de João Guimarães Rosa, a peça “Bubuia”, com o Coletivo Antonia, convida bebês e crianças com até 3 anos para experimentar, vivenciar, imaginar, sentir e escutar o teatro. Em cena, baldes, bacias, balões, corpos e sons desenham o curso de um rio que deságua na quietude, no perpétuo e na margem que não se vê.
Já os pais poderão participar do bate-papo “Ler com o Bebê Faz Bem”, com a psicóloga e educadora Cássia Bittens, no dia 13, às 14h. Ela oferece alguns exemplos de livros para ler com os pequenos e fala sobre os benefícios que essa experiência traz para todos os envolvidos.
O Sesc Consolação fica na Rua Dr. Vila Nova, 245, SP.

2 de outubro de 2018

As Irmãs Siamesas

Foto: Heloisa Bortz

Com encenação de Sébastien Brottet-Michel, diretor francês e ator do Théâtre du Soleil, desde 2002, o espetáculo "As Irmãs Siamesas", de José Rubens Siqueira, estreia no dia 5 de outubro, às 21h, no Teatro Aliança Francesa. A peça revela a complexidade e ternura da alma feminina, inserida na relação familiar, a partir do reencontro de duas irmãs, interpretadas por Cinthya Hussey e Nara Marques, após a morte da mãe.

"As Irmãs Siamesas" foi escrita em 1986, rendendo o Prêmio APCA de Melhor Autor a Siqueira. As particularidades da alma humana, a personalidade e a individualidade aparecem de forma natural e contundente no reencontro de Marta e Maria.

A morte da mãe provoca o encontro e o confronto entre Marta, a irmã mais velha e cuidadora da mãe, e Maria, que partiu para uma vida nova em São Paulo. Frias e distantes, elas entram em casa envoltas pelo incômodo da presença uma da outra e precisam reaprender a se comunicar. As lembranças são inevitáveis. Cada memória vem carregada de rancor, mágoa, acusação ou mesmo ternura, leveza e humor. O passado é o fantasma de Marta que acredita não ter tido a oportunidade de ser feliz, obrigada a permanecer numa cidade do interior, carregando a responsabilidade da mãe doente sem opção de viver a própria vida. Agora, sente-se ainda mais perdida, sem a mãe e sem o filho que vive fora do país.

É preciso restabelecer os laços, a ligação fraterna que se perdeu. Os diálogos evoluem na mesma proporção das emoções. A muralha vai sendo transposta à medida que as questões vão sendo expostas, colocando-as numa posição de maior proximidade. O encontro é permeado por momentos de ternura e delicadeza, outros de raiva e até violência, até revelar os detalhes da vida de cada uma.

O espetáculo segue temporada até o dia 2 de dezembro, sextas e sábados (às 20h30) e domingos (às 19h) no Teatro Aliança Francesa que fica na Rua Gen. Jardim, 182 - Vila Buarque. São Paulo - SP.

1 de outubro de 2018

Os arqueólogos

Foto: Felipe Stucchi

Depois de uma temporada de estreia aclamada por público e crítica e da participação no Festival de Curitiba e Palco Giratório (Porto Alegre), "Os arqueólogos" volta à São Paulo em temporada no Instituto Cultural Capobianco. Escrito por Vinicius Calderoni, dirigido por Rafael Gomes interpretado por Guilherme Magon e Vinicius Calderoni.

Na história, dois narradores transmitem - com linguagem que parodia os jargões de modalidades esportivas como futebol, boxe e automobilismo - cenas corriqueiras que se passam na praça de uma grande cidade:  um pai que ensina ao filho como fotografar com uma câmera analógica, um casal que discute na calçada, uma garota que conta quanto tempo cada pessoa demora pra desfazer o sorriso do rosto depois que se despede de um conhecido, etc. Dois arqueólogos do futuro avaliam com rigor científico e frieza vestígios de uma estranha civilização: a nossa.

O texto de "Os arqueólogos" foi publicado em livro em agosto de 2018 pela Editora Cobogó, bem como os três textos que compõem a Trilogia Placas Tectônicas, escrita por Vinicius Calderoni e composta por Não nem nada (Indicada ao Prêmio Shell de Melhor Autor), Ãrrã (Vencedora do Prêmio Shell de Melhor Autor) e Chorume.

O espetáculo fica em cartaz até o dia Até 18 de dezembro, às terças-feiras 21h, no Instituto Cultural Capobianco (Rua Álvaro de Carvalho, 97- SP).